Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

sábado, 24 de janeiro de 2015

BRASIL OCUPA O 90º LUGAR NO RANKING GLOBAL DE VELOCIDADE DE CONEXÃO À INTERNET

Por Ennio Rodrigues
interneeeet
Nem os mais otimistas se iludem: a internet brasileira precisa melhorar – e muito! Segundo a última versão do levantamento “State of Internet”, organizado pela Akamai e divulgado neste mês, o Brasil está na 90º colocação no ranking de velocidade média de conexão, com índice de 2,9Mbps, abaixo da média global de 4,5Mbps. A pesquisa, com dados referentes ao terceiro trimestre de 2014, avalia 140 países/regiões pelo mundo..
Para entrarmos no Top 10, só mesmo isolando apenas os países americanos. Atualmente, em termos de velocidade média de conexão, estamos atrás de Peru, Equador e Uruguai. Aliás, o país vizinho do sul é o principal destaque do continente. Depois um aumento de 148% em relação ao mesmo período do ano passado, o Uruguai se tornou o terceiro com melhor velocidade de conexão na América, perdendo apenas para Estados Unidos e Canadá. A média uruguaia é de 5,5Mbps e com picos de velocidade que chegam a 58,6Mbps (!), os maiores da região no período avaliado. Veja o quadro da comparação dos países americanos:
internet-imagem-1
Promessa de campanha?
Um dos objetivos reforçados pela recém reeleita presidente da república, Dilma Rousseff, durante a corrida eleitoral do ano passado foi o programa de “universalização” do acesso à banda larga no país. Em um dos atos de campanha, em outubro, a então candidata afirmou que até 2018 a meta é levar a 90% da população internet com velocidade variando de 25Mbps até 35Mbps, ou seja, mais de doze vezes melhor que a média atual.
Por enquanto, o cenário nacional é complicado. Apesar do recente aumento de 9,5% da velocidade de conexão (passamos da média de 1,1Mbps no terceiro trimestre de 2013, para 2,9Mbps no mesmo período de 2014), saímos da 89ª para a 90ª posição na comparação global.
Além da média de velocidade aquém da mundial, o Brasil enfrenta uma grande desigualdade no acesso. Se, por um lado, tivemos picos de conexão de 20,5Mbps, apenas 25% dos usuários têm conexão com velocidade média acima dos 4Mbps. Inseridos nesse grupo estão aqueles com velocidade média superior a 10Mbps, que representam apenas 1,6% de todos os internautas brasileiros.
internet-imagem3 internet-imagem4
O compromisso do “Banda Larga Para Todos” foi reafirmado no discurso de posse de Dilma Rousseff, mas o desafio não é nada fácil.

Em primeiro, claro, os asiáticos
Origem de gigantes da tecnologia, como Samsung, LG, Toshiba e outros, não é surpresa ver países como Coreia do Sul, Hong Kong e Japão no topo da lista, com média de velocidade de conexão de 25,3Mbps, 16,3Mbps e 15Mbps, respectivamente. Na parte de cima da tabela também estão países com tradicional investimento de longo prazo em infraestrutura e em serviços de uso comum, como os europeus: Suíça, Suécia e Holanda.
No geral, a velocidade pelo mundo melhorou, subiu 25% em um ano para chegar a média de 4,5Mbps. O principal destaque dentre os dez primeiros do ranking é Singapura, que teve um aumento de 57% na velocidade média de conexão, saltando de 22ª para 10ª no ranking mundial em apenas um ano.
internet-imagem-2
 Fonte: Site da Revista Superinteressante - Jan/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas