Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

domingo, 30 de junho de 2013

Protesto pacífico marca último dia da Copa das Confederações em Salvador



Jovens caminham para Arena Fonte Nova (Foto: Ruan Melo)Jovens caminharam de forma pacífica até a Arena Fonte Nova (Foto: Ruan Melo)
Cerca de 500 pessoas participaram de um protesto pacífico na tarde deste domingo (30), emSalvador. A cidade recebe as seleções do Uruguai e da Itália, que se enfrentam na Arena Fonte Nova pelo terceiro lugar na Copa das Confederações.
Com faixas, caras pintadas e tambores, o movimento Passe Livre Salvador se concentrou na Praça do Campo Grande. Antes de seguir em caminhada, os integrantes discutiram qual seria o trajeto percorrido. Um megafone circulou entre os manifestantes, que expressaram suas opiniões, já que não há líderes no movimento. Alguns preferiam seguir pela Avenida Joana Angélica, outros defenderam seguir pelo Dique do Tororó. Houve ainda os que queriam se aproximar do cordão de isolamento feito pela polícia militar e sentar, mas parte do grupo discordou, temendo confronto.
Jovens concentrados na entrada do Dique (Foto: Ruan Melo/ G1)Grupo chegou perto da barreira policial no Dique (Foto: Ruan Melo/ G1)
Após as discussões, a manifestação saiu do Campo Grande pouco depois das 12h, seguindo pelo Politeama para a Arena Fonte Nova. "Acho que devemos dar uma volta maior e ir pelo Politeama. Acho melhor esse trajeto porque é mais fácil de dispersar, na Joana Angélica tem muitas barreiras da PM", opinou o estudante Rodrigo Veras.
"Desejo uma boa manifestação, que seja em paz e que consigam alcançar os objetivos", afirmou o tenente-coronel Baqueiro na saída do protesto no Campo Grande, que se comunicou por meio de microfone com o grupo.
A passeata seguiu pacífica até a proximidade da Arena Fonte Nova, na Avenida Centenário, entrada do Dique do Tororó. Segundo a Transalvador, não foi necessário fazer intervenções no trânsito por causa da manifestação. A assessoria da Polícia Militar em Salvador também informou que as estratégias de segurança traçadas para a Copa das Confederações neste domingo não foram alteradas por causa do protesto.
Família acompanhou protesto na Bahia (Foto: Lílian Marques/ G1)
Família acompanhou protesto em Salvador
(Foto: Lílian Marques/ G1)
Uma família chegou a acompanhar o percurso com uma criança. "Eu apoio a manifestação porque aqui não se tem um transporte público de qualidade. Pago caro pelo transporte e a qualidade não compensa. Saí da Argentina em 2001 por causa da crise", comenta Alejandro Mariani, ao lado da esposa Eliane e do filho Diego.
"Em hipótese alguma queremos confronto, nosso interesse é levar a paz. Todo mundo tem direito de se manifestar. Viu como foi bonito na prefeitura? Teve gente que me abraçou", observou o Coronel Nivaldo da PM.
O grupo chegou à entrada do Dique do Tororó e ficou cerca de 50 metros distante da barreira policial. Lá, integrantes do movimento conversaram com os policiais e decidiram encerrar o movimento. "Nós decidimos encerrar o movimento aqui em frente ao 5º Centro porque esse era nosso objetivo. Existem outros grupos que decidiram continuar a manifestação, mas isso não foi deliberado na assembleia", disse um dos integrantes do movimento Passe Livre.
Aos poucos, os integrantes da manifestação se dispersaram no final da Avenida Centenário, próximo ao Dique do Tororó. Cerca de 100 pessoas voltaram em caminhada para a região do Campo Grande. Os manifestantes se concentraram perto do Hotel da Bahia, onde está hospedada a delegação da Fifa.
Definição do protesto
Os manifestantes se reuniram na tarde de sábado (29), no Passeio Público, no Campo Grande, em Salvador, para definir as ações do movimento Passe Livre na capital baiana.

Entre as discussões levantadas pelo grupo, esteve a definição de como seria realizada a passeata deste domingo, além de protestos no dia 2 de julho (terça-feira), data em que se celebra a independência da Bahia.
Na quinta-feira (27), aproximadamente 1.500 pessoas participaram da quarta manifestação realizada na cidade, em uma caminhada pacífica do Campo Grande ao Centro Histórico de Salvador.
Do lado de fora da prefeitura, um manifestante utilizou um carro de som para afirmar que o movimento tinha atingido seus objetivos, já que uma audiência pública foi marcada na Câmara Municipal para 3 de julho.
Protesto_Salvador_27 de junho (Foto: Egi Santana/G1 Bahia)Manifestantes parados na Praça Castro Alves antes de seguirem em frente (Foto: Egi Santana/G1 Bahia)
Reivindicações
Integrantes do Movimento Passe Livre Salvador divulgaram, na quarta-feira (26) a carta com todas as reivindicações. No documento, lido pelos integrantes no Passeio Público, no bairro do Campo Grande, eles afirmaram que são apartidários e defenderam um transporte público gratuito e de qualidade.

Entre as principais reivindicações do movimento, estão a redução imediata da tarifa de ônibus, ampliação da frota de veículos, ativação e ampliação do metrô de Salvador, extinção da tarifa para os trens do subúrbio, além da construção de novas estações.
Protesto em sALVADOR (Foto: Egi Santana/ G1)
Protesto mobiliza população em Salvador
(Foto: Egi Santana/ G1)
Confira a lista completa de reivindicações do Movimento Passe Livre Salvador:
1. Passe livre nos ônibus para todos os estudantes, inclusive estudantes de curso pré-vestibular;
2. Ampliação e renovação da frota, com a introdução de veículos de piso baixo, visando garantir a maior acessibilidade a pessoas com dificuldades ou necessidades especiais;
3. Ônibus 24 (vinte e quatro) horas em atividade;
4. Criação do Bilhete Único, benefício tarifário permitindo a realização de 04 (quatro) viagens dentro do prazo de 03 (três) horas, como já existe em São Paulo e outras capitais brasileiras;
5. Ampliação do programa “Domingo é Meia” para os feriados e inclusão dos usuários do Salvador Card no programa, eliminando-se a restrição do pagamento em dinheiro;
6. Extinção do pagamento de taxa para recadastramento no Salvador Card;
7. Construção de novas estações de ônibus e imediata reforma e integração de todas as estações já existentes, com garantia de acessibilidade a pessoas com dificuldades ou necessidades especiais;
8. Construção de mais faixas exclusivas para ônibus;
9. Abertura da caixa preta da SETPS, com a revisão dos custos e contratos pelos órgãos competentes, promovendo com transparência o debate público sobre as regras dos contratos de concessão e sobre o cálculo do preço da tarifa;
10. Ativação e ampliação do metrô, com estabelecimento de calendário para o cumprimentos destas solicitações;
11. Investigação, pelo Ministério Público, dos gastos com a construção do metrô, iniciada há 13 anos;
12. Integração dos transportes rodoviário, ferroviário e aquaviário;
13. Execução do projeto “Cidade Bicicleta” – que prometeu ampliar a malha cicloviária da região metropolitana para 217 Km;
14. Extinção da tarifa para os trens do subúrbio de Salvador, garantindo passe livre a todos os seus usuários;
15. Ampliação e reforma das calçadas, com garantia de acessibilidade a pessoas com dificuldades ou necessidades especiais;
16. Melhorias no sistema de transporte intermunicipal aquaviário do estado da Bahia, além da instituição do pagamento de meia passagem por estudantes;
17. Retomada do caráter deliberativo do Conselho da Cidade;
18. Reativação do Conselho Municipal de Transporte;
19. Integração da Região Metropolitana;
20. Estatização dos sistemas de transporte público;
21. Por fim, solicitamos a alteração do nome do Aeroporto Internacional de Salvador, hoje “Deputado Luís Eduardo Magalhães”, para o seu antigo nome: “2 de julho”, data magna dos baianos.
l

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas