Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Bayern curte o feriado, passeia em Barcelona e vai à final da Champions


A Liga dos Campeões terá uma final alemã inédita no próximo dia 25 de maio, em Londres. Nesta quarta-feira, em pleno Dia do Trabalho, o Bayern de Munique foi dar um passeio em Barcelona. Os jogadores tiveram um feriado diferente, com uma volta pela Rambla e à noite estiveram no Camp Nou para bater uma bolinha, onde de quebra venceram por 3 a 0 o Barcelona, e ratificaram a passagem da equipe bávara para Wembley. O adversário na decisão será o rival Borussia Dortmund.
Estas semifinais de Liga dos Campeões, curiosamente, refletiram a realidade econômica da Europa. De um lado uma Alemanha economicamente mais forte, e de outro uma Espanha que passa por grave crise financeira e possui a maior taxa de desemprego do continente. Venceu o lado mais forte, em ambos duelos.
  
Messi não foi a campo (Foto: Lluis Gene/AFP) 
Como operários bem aplicados, os jogadores do Bayern fizeram um trabalho bem feito. Depois da goleada por 4 a 0 em Munique, mantiveram a marcação pressão no campo do Barcelona e, quando atacados, se defendiam com a mesma eficiência. Um mar de camisas vermelhas era visto a partir da intermediária todas as vezes em que o Barça ensaiava um ataque.
No outro lado, o time blaugrana ressentia mais uma vez a ausência de Messi, desta vez não apenas futebolisticamente mas também fisicamente. Isso porque o camisa 10, que poderia desequilibrar, começou no banco de reservas.
Além de não contar com o seu principal jogador, o Barcelona ainda tinha problemas para manter sua troca de passes devido à feroz marcação bávara. Para dar mais trabalho aos catalães, o Bayern assustava em contra-ataques velozes. Curioso que assustava, mas não finalizava. O time de Jupp Heynckes foi frio, dava as cartas pois sabia que a obrigação de se desdobrar estava do outro lado.
Robben abriu o placar para o Bayern de Munique no Camp Nou (Foto: Josep Lago/AFP)
Quando os primeiros 45 minutos terminaram, o gerente Jupp Heynckes já previa que a meta seria alcançada pelos seus comandados. Era só manter a coisa do jeito que estava e pronto, a viagem para Londres estaria confirmada. Só que Robben resolveu dar uma uma de funcionário do mês e cumpriu o seu ofício. Correu pela ponta direita, puxou para o meio e soltou a bomba de canhota. Golaço.
E se Robben ganhou aquele quadrinho de funcionário do mês, o mesmo não pode ser dito de Piqué. O zagueiro do Barcelona cometeu uma falha grave, daquelas que dão margem para uma demissão por justa causa. Lahm cruzou e o defensor, na tentativa de afastar a bola, espirrou o taco e meteu com raiva contra o próprio gol.
A conta já estava fechada? Ainda não. Müller e Ribèry não quiseram ficar atrás do colega Robben. O francês desceu pela esquerda e cruzou para o alemão tomar o elevador, subir mais alto que todo mundo e usar a cabeça para marcar o terceiro. 
E Messi? Bem, o camisa 10 do Barcelona não cobriu o seu plantão. Foi dispensado pelo chefe Tito Vilanova por licença médica. Prescindiu de um talento que poderia - quem sabe? - causar algum incômodo durante o feriado bávaro na Catalunha.
Jogadores do Barça deixam o campo depois do Bayern passar por cima (FOTO: Javier Soriano/AFP)
FICHA TÉCNICA
BARCELONA 0 X 3 BAYERN DE MUNIQUE

Local: Camp Nou, em Barcelona (ESP)
Data-Hora: 1/5/2013 - 15h45 (de Brasília)
Árbitro: Damir Skomina (SVN)
Auxiliares: Matej Zunic (SVN) e Bojan Ul (SVN)
Cartões amarelos: Daniel Alves e Piqué (BAR); Robben (BAY)
Cartões vermelhos: -
Gols: Robben 3'/2ºT (0-1), Piqué (contra) 27'/2ºT (0-2) e Müller 31'/2ºT (0-3)

BARCELONA: Valdés, Daniel Alves, Piqué, Bartra (Montoya 41'/2ºT) e Adriano; Song, Xavi (Sánchez 10'/2ºT) e Iniesta (Thiago Alcântara 20'/2ºT); Villa, Fàbregas e Pedro - Técnico: Tito Vilanova.
BAYERN DE MUNIQUE: Neuer, Lahm (Raffinha 32'/2ºT), Boateng, Van Buyten e Alaba; Schweinsteiger (Luiz Gustavo 21'/2ºT), Javi Martínez (Tymoshchuk 29'/2ºT), Ribèry, Robben e Müller; Mandzukic - Técnico: Jupp Heynckes.
Fonte: Lancenet

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas