Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

sexta-feira, 29 de março de 2013

Ka-Zar, um dos personagens mais antigos da Marvel



Ka-Zar
Poucos leitores mais novos sabem, mas Ka-Zar, conhecido como o Senhor da Terra Selvagem, a Marvel, é um dos personagens mais antigos da "Casa das Ideias", e nasceu nos pulps para depois migrar para os quadrinhos.
Então, mergulhe agora na história desse personagem que teve, inclusive, outros nomes.
Ka-Zar nos pulps e na Era de Ouro
A primeira versão de Ka-Zar surgiu na década de 1930. O personagem se chamava David Rand e era uma das diversas "cópias" de Tarzan existentes naquele período, como Sangroo, Kwa, Kroom, Kooga, Ki-Gor, Sheena e Jan of the Jungle.
O herói também era conhecido como Ka-Zar the Great(que pode ser traduzido livremente como Ka-Zar, o Glorioso). Sua primeira aparição ocorreu nas páginas da revista pulp Ka-Zar # 1, de outubro de 1936, da Manvis Publishing, um dos diversos selos editorias de Martin Goodman, que também era o dono da Timely Comics(que, posteriormente, viraria a Marvel).
A revista pulp Ka-Zar teve apenas três edições, entre outubro de 1936 e junho de 1937. O personagem ilustrava a capa (pintada por J. W. Scott) e era a estrela da história principal da edição - que incluía outros três ou quatro contos -, sempre assinada por Bob Byrd. Depois disso, o herói ficou esquecido entre 1937 e 1939, quando ressurgiu adaptado para os quadrinhos.
Ka-Zar
Ka-Zar apareceu nos quadrinhos em Marvel Comics # 1, o primeiro título da Timely. Essa aventura foi adaptada por Ben Thompson, baseada no conto King of Fang and Claw, originalmente escrito por Bob Byrd.
Marvel Comics moderna só reconheceu oficialmente a existência desse personagem dentro do seu Universo em All-New Official Handbook of the Marvel Universe A to Z # 6, publicado em 2006.
David Rand - sem nenhum parentesco com Daniel Rand, o Punho de Ferro - nasceu na África do Sul, em 1918. Com apenas três anos, ele viajava para o Cairo, no Egito, com seus pais, num avião que caiu nas florestas do Congo, que na época era uma colônia da Bélgica.
O garoto cresceu na selva com seu pai, John Rand, isolado das tribos locais. Seus únicos amigos eram os animais, e o mais fiel deles era Zar, um leão que ele salvara da areia movediça. Aliás, o nome Ka-Zar significa "irmão do leão".
O pai de David faleceu num confronto com o contrabandista de esmeraldas Paul de Kraft, mas posteriormente foi vingado por Ka-Zar. Nessa fase, as aventuras do herói eram bastante ligadas ao momento histórico do período, com cenários no Congo belga, Somalilândia (uma região da Somália), Etiópia, Quênia, Inglaterra e Estados Unidos.
Além de caçadores, contrabandistas e até homens-lagarto, Ka-Zar também enfrentou nazistas, fascistas e outros aliados do Eixo, durante a Segunda Guerra Mundial.
Ka-Zar
Essa adaptação de King of Fang and Claw foi lançada em seis partes (Marvel Comics # 1 e Marvel Mystery Comics # 2 a # 5), entre outubro de 1939 e março de 1940.
King of Fang and Claw, de Bob Byrd, está disponívelonline como um arquivo de texto do Projeto Guttemberg Austrália. O conto também pode ser lido, em versão html, com as ilustrações originais de L. F. Bjorklund, no site the Holloway Pages - Pulp Heroes.
As aventuras de Ka-Zar foram publicadas até a edição # 27 da revista Marvel Mystery Comics (de janeiro de 1942), sempre com arte de Ben Thompson.
Como ocorre com grande parte do material publicado na Era de Ouro, existem dúvidas sobre a autoria dos roteiros, se eram realmente de Thompson, ou de outro escritor como, por exemplo, Ray Gill, que também assinava histórias na mesma revista.
Recentemente, uma reedição dessas aventuras credita Frank Frollo como desenhista de algumas delas, o que pode ser um erro, pois diversos pesquisadores de quadrinhos estadunidenses questionam essa atribuição.
Na época, os principais heróis de Marvel Mystery Comics eram o Tocha Humana e o Anjo, ambos de Carl Burgos; e Namor, de Bill Everett.
Ka-Zar
E Ka-Zar chegou a participar de uma história do Tocha Humana, publicada em Human Torch # 5, lançada em 1941. Depois disso, o herói foi temporariamente esquecido pela editora.
Algumas aventuras do personagem foram publicadas no Brasil na revista Gibi Mensal.
Na década de 1950, quando os super-heróis estavam em baixa e os heróis da selva proliferavam, a Atlas (um dos muitos nomes usado pela Marvel) reviveu o personagem com outro nome, Lo-Zar.
Esse "clone" de Ka-Zar foi criado por Don Rico e ilustrado pelo ótimo Joe Maneely. A estreia de Lo-Zar ocorreu em Jungle Action # 1, publicado em outubro de 1954.
Curiosamente, o personagem foi xerocado mais uma vez na década de 1970, quando, para evitar um conflito com Ka-Zar, Lo-Zar teve suas histórias republicadas na revista Jungle Action (Volume 2), de 1972, com o nome de Tharn e com o cabelo ruivo, em vez de loiro.
A versão moderna de Ka-Zar
Ka-Zar
Marvel Comics voltou a dar atenção ao personagem em 1965, quando Ka-Zar foi recriado por Stan Lee e Jack Kirby, nas páginas de The X-Men # 10.
O novo Ka-Zar passou a se chamar Kevin Plunder, e é conhecido como o "Senhor da Terra Selvagem". Suas aventuras mudaram da África para um vale perdido na Antártica.
A Terra Selvagem é lugar que possuiu um clima tropical, graças a uma série de máquinas criadas por extraterrestres, e é habitada por tribos primitivas e dinossauros. O leão Zar foi substituído por Zabu, um tigre de dente de sabre. O nome do personagem passou a significar "filho do Tigre".
Essa versão foi inspirada tanto em Tarzan (e no Ka-Zar original), quanto em Tor, um herói pré-histórico criado por Joe Kubert, na década de 1950.
Suas histórias na década de 1960 foram publicadas nas revistas X-Men, Daredevil e The Amazing Spider-Man. Seu primeiro título solo, Ka-Zar, foi lançado entre 1970 e 1971, teve apenas três edições e trazia reimpressões das aventuras do personagem publicadas a partir de 1965.
Em agosto de 1970, Ka-Zar passou a estrelar Astonishing Tales, título bimestral que trazia duas histórias de dez páginas. Nos primeiros anos de publicação, ele dividia as páginas com o vilão Dr. Destino, mas, depois de oito edições, passou a ser o único personagem da revista.
Ka-Zar
Nessa fase, Ka-Zar faz amizade com Tongah e Barbara Morse - que, quase uma década mais tarde, se transformaria na heroína Harpia (Mockingbird, no original) - e enfrenta Kraven, o caçador, Garokk, o homem petrificado, Zaladane, Homem-Coisa, I.M.A. (Ideias Mecânicas Avançadas), Gog e muitos outros.
Anos mais tarde, Garokk e Zaladane foram usados por Chris Claremont e John Byrne numa história clássica dos X-Men na Terra Selvagem. E Gog voltaria numa aventura do Homem-Aranha na Terra Selvagem.
Os roteiros das HQs de Astonishing Tales são de Stan Lee, Gerry Conway, Gary Friedrich, Mike Friedrich e Roy Thomas. A arte é de Barry Windsor-Smith, Herb Trimpe, Tom Sutton, John Buscema, Sal Buscema, Gil Kane e Rich Buckler.
As histórias de Astonishing Tales # 10 e # 11 foram publicadas no Brasil em Ka-Zar # 1, da Editora Paladino.
Em 1971, Ka-Zar passou a figurar em outra revista,Savage Tales, publicada em preto e branco, no mesmo formato de A espada selvagem de Conan. Era uma publicação indicada para leitores maduros, que não trazia o selo do Comic Code Authority.
Ka-Zar
A primeira HQ nesse título, The Night of the Looter, foi escrita por Stan Lee e ilustrada por John Buscema. É uma trama simples e direta, com algumas discretas cenas de nudez (algo raro na época) da personagem Carla, umafemme fatale que desejava seduzir Ka-Zar para facilitar a obtenção do raro metal Vibranium.
Essa aventura também foi reproduzida, em cores, nas páginas de Astonishing Tales # 14, mas com uma diferença: todas as cenas de nudez foram redesenhadas por Buscema e uma sequência mais provocativa foi substituída (em texto e arte), dentro do contexto da trama - por cenas inócuas.
Conan foi o destaque de capa da revista até Savage Tales # 5, mas nas edições seguintes foi substituído por Ka-Zar. As histórias eram de Gerry Conway e dentre os artistas estavam John Buscema, Alfredo Alcala, Tony DeZuñiga, Steve Gan, Russ Heath e Sandy Plunkett.
Martin Goodman, o publisher da Marvel, não tinha grande interesse na publicação de Savage Tales, pois era um título que provocava o Comic Code Authority, e a entidade era bastante poderosa na década de 1970. Segundo Roy Thomas, logo que encontrou uma desculpa, Goodman cancelou a revista, após 11 edições.
O Senhor da Terra Selvagem deixou a revista Astonishing Tales na edição # 20 e ganhou outro título,Ka-Zar, Lord of the Hidden Jungle, em 1974. Algumas das histórias dessa fase foram publicadas no Brasil pela editora Bloch, em Ka-Zar, em sete edições publicadas entre 1975 e 1976.
No total, Ka-Zar - Lord of the Hidden Jungleteve 20 edições, publicadas bimestralmente entre 1974 e 1977.
Ka-Zar
Shanna e Ka-Zar se encontram pela primeira vez em Ka-Zar - Lord of the Hidden Jungle # 1. Nas revistas seguintes, outros personagens que retornaram foram Tongah e Bobbi Morse. No sexto número, Gerry Conway assumiu os roteiros, substituindo Mike Friedrich. John Buscema e Alfredo Alcala assinavam os desenhos.
A revista esquentou a partir da edição #12, com a históriaWizard of the Forgotten Flesh, escrita por Doug Moench e ilustrada pelo veterano Russ Heath, que marcou o início de uma das fases mais divertidas do personagem. Ka-Zar e Tongah decidem ajudar Sharka e Charn, dois membros da tribo do pântano, contra os feiticeiros Zaurai, Sheesa e seus homens lagartos.
Na sequência, Ka-Zar enfrenta Ulysses Klaw, o Garra Sônica, e os Sheenaurians (alienígenas de outra dimensão, que, num provável erro do escritor ou do letrista em algumas partes, também são chamados de Shaurians), numa aventura de várias partes, com arte de Larry Hama e Val Mayerik e texto de Doug Moench.
Também participam da aventura a repórter Tandy Snow e o radiologista Kirk Marston (que posteriormente se transformaria na criatura Garokk, numa HQ dos X-Men, da fase de Chris Claremont e John Byrne). Quando Ka-Zar e seus companheiros invadem a dimensão dos Sheenaurians, descobrem que existe outra raça alienígena no lugar, os Quarlians, estranhos humanoides que usam tubarões alados como meio de transporte. Tandy acaba sendo coroada como rainha Tandylla, pelos Quarlians.
Infelizmente, a história ficou inacabada. A Marvel cancelou a revista no número # 20, prometendo continuar a aventura num título futuro, o que ocorreu na forma de um flashback narrado por Karl Lykos (Sauron) e Ka-Zar, no clássico Uncanny X-Men # 115.
Claremont optou por um desfecho bastante simplificado, literalmente um Deus Ex Machina, envolvendo a intervenção de Zaladane acompanhada do novo Garokk (Kirk Marston), para exterminar a ameaça interdimensional e retornar a Terra Selvagem à normalidade.
Ka-Zar
Depois disso, Ka-Zar só voltou a ganhar um título regular em 1981, na aclamada série Ka-Zar the Savage, com texto de Bruce Jones e arte de Brent Anderson. Foi nessa série, de 34 edições, que ele e Shanna se casaram no número #29.
Em 1990, o personagem ganhou uma graphic novelKa-Zar - Guns of the Savage Land, com enredo de Chuck Dixon e Timothy Truman,layouts de Gary Kwapisz e pintura de Ricardo Villagrán. Também estão na história Shanna, Zabu e Wyatt Wingfoot.
Mark Waid e Andy Kubert assumiram as histórias do herói, em Ka-Zar, série de 1997 com 20 edições publicadas. Uma das grandes inovação foi a introdução de Matthew Plunder, o filho de Ka-Zar e Shanna. Thanos, mais acostumado a enfrentar super-heróis cósmicos, é um dos vilões dessa fase.
O herói também participou do eventoFlashback, no qual todas as revistas da Marvel estamparam o número # 1 na capa, e as histórias se passavam no passado dos personagens. Para realçar esse efeito, a editora usou o mesmo logo da série Ka-Zar - Lord of The Hidden Jungle, de 1974. O enredo é de Mark Waid e Todd DeZago e a arte é de John Cassaday.
Ka-Zar
Em 1997, o herói ganhou ainda Ka-Zar of the Savage Land # 1, uma edição especial com roteiro de Chuck Dixon e arte de Frank Teran, na qual Ka-Zar e Shanna enfrentam Sauron.
Quatro anos depois, em 2011, a Marvel lançou uma minissérie de Ka-Zar, de cinco edições, com texto de Paul Jenkins e arte de Pascal Alixe. O filho de Ka-Zar e Shanna, Matthew, participa da história.
A última participação regular de Ka-Zar no Universo Marvel ocorreu na minissérie de 2011 Skaar, King of the Savage Land, de Rob Williams e Brian Ching. Nela, Skaar, o filho do Hulk com a alienígena Caiera, enfrenta Ka-Zar, Shanna, Devil Dinossaur, Moon Boy, o caubói Two-Gun Kid e outros, pelo domínio da Terra Selvagem.
Desde então, o herói aguarda por mais um retorno, que, a julgar por sua história nos quadrinhos, certamente acontecerá.
Comente este artigo no Blog do Universo HQ.
Sérgio Codespoti mora em Luxemburgo, mas adoraria ter um portal para a Terra Selvagem.
Ka-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-ZarKa-Zar
Fonte: Universo HQ

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas