Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Exposição: O traço soberano de Loredano


Pela primeira vez, a Galeria Paulo Fernandes, no Rio de Janeiro, recebe os desenhos de um dos mais respeitados caricaturistas brasileiros, Cássio Loredano. A mostra reúne 40 trabalhos em que o artista carioca retrata com o habitual talento escritores, músicos, políticos, esportistas, filósofos e outros tantos que, desde 1970, passam por sua prancheta.
Sem moldura. Freud e seu cão de estimação na linha bem pensada de Cassio Loredano
O crítico de arte Ronaldo Brito, curador da exposição, analisa o que faz de Loredano um desenhista especial. “O traço soberano é o que o diferencia dos demais artistas, a linha muito bem pensada, cuidada e a imaginação que ele tem. A obra de Loredano fica melhor ainda na página de um jornal. Ele tirou a moldura do desenho e é aí que se encontra a modernidade da obra, ao desenhar com a página. Como desenhista de imprensa, não existe igual.”
Modesto, Loredano conta que a seleção das obras se deu pela qualidade: “O que saiu menos ruim foi eleito. Gasto muito mais em borracha do que em tinta. Eu mais erro que acerto”.
Cássio Loredano – Desenhos
Galeria Paulo Fernandes, Rio de Janeiro, Centro
De 13 de outubro a 13 de novembro


Fonte: Carta Capital

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas