Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

sábado, 22 de setembro de 2012

Casos Mórbidos


Brasil
  • No Rio de Janeiro, um carro funerário bateu numa mureta da ponte Rio-Niterói e o caixão com um corpo que estava sendo carregado caiu na pista e quebrou. A polícia teve que interditar a via até que outro carro funerário chegasse com novo caixão para retirar o morto do local.
França
  • Jonathan Goerge e Magali Jaskievicz moravam juntos há seis anos e tinham duas filhas quando marcaram o dia do casamento. Seria muito bonito, se Jonathan não morresse dois dias depois, em um acidente automobilístico. Mesmo assim, fiel, Magali foi em frente e se casou postumamente com Jonathan, em 14 de novembro de 2009. Na cerimônia, o noivo foi representado por um cavalete com uma foto dele. Logo após o casamento, Magali era oficialmente viúva.
Inglaterra
  • Cinco meses depois do casamento, Michael Roberts matou a esposa, Vicky Roberts, e escondeu o corpo na garagem. Para disfarçar o assassinato, o marido ainda enviou mensagens do celular de Vicky para as amigas dela, tentando criar a versão de que a esposa o havia deixado por outro homem. Também ligou para a sogra pedindo uma sugestão de presente de Natal para Vicky. Não deu certo. Descoberto pela polícia, ele justificou o crime dizendo que havia sufocado a esposa por acaso, durante uma “brincadeira sexual”.
     
  • Um coveiro cavou a própria cova sem querer. O jornal The Mirror informou que o homem de 68 anos caiu numa cova de cerca de dois metros que havia acabado de cavar, bateu a cabeça e morreu.
     
  • O inglês Guy Marshall, 53 anos, voltava para casa dirigindo quando, ao ver um acidente, resolveu parar para ajudar, já que possui treinamento em primeiros socorros. A surpresa aconteceu quando percebeu que o acidentado era Thomas, seu filho de 18 anos. O jovem dirigia uma moto Suzuki GS 500C pela região da cidade de Suffolk quando bateu contra um carro Mazda MX-5. O acidente aconteceu no dia 12 de junho de 2009, e Thomas Marshall não resistiu aos ferimentos, falecendo horas depois.
     
  • A britânica Bernadette Quirk manteve três bebês mortos no armário de seu quarto por 20 anos. Um outro bebê foi enterrado por ela em um cemitério, em segredo. Segundo ela, as crianças já nasceram sem vida. Por isso, ela embrulhou três delas, todas meninas e duas gêmeas, e guardou em um pequeno recipiente plástico. Ela foi presa em 2009, por ocultação de nascimento, sem explicar por que guardou os cadáveres por tanto tempo. Ela os levou consigo para os vários endereços que ocupou após os nascimentos.
Japão
  • Por 13 anos um japonês manteve o corpo de seu pai congelado esperando que ele ressuscitasse. O cadáver foi encontrado pela polícia em julho de 2001, depois que os vizinhos reclamaram do mau cheiro.
     
  • No Japão, um funcionário de uma empresa de transportes morreu por causa de uma brincadeira na festa de comemoração de sua aposentaridoria. O japonês de 60 anos foi jogado para cima pelos colegas, mas acabou caindo no chão quando seus colegas não conseguiram segurá-lo. O homem morreu meses depois, por causa de complicações nos ferimentos da queda. A viúva acusa os funcionários da empresa de negligência.
México
  • Uma gangue de assaltantes mulheres drogou e matou dois anões lutadores. A bizarrice aconteceu em julho de 2009, na capital do país. A autopsia mostrou que os pequenos lutadores morreram acidentalmente, já que foram drogados apenas com o intuito de serem roubados. O que as assassinas não levaram em conta é que, sendo anões, a dose de dopagem deveria ter sido menor. A luta de anões tem uma liga profissional no México e nos Estados Unidos.
Peru
  • Os amigos de Olga Rivas queriam prestar uma última homenagem à companheira de bebedeiras realizando seu velório em um bar. Levaram o corpo e o colocaram sobre uma mesa, diante do olhar estupefato dos clientes presentes. Mas cometeram um pequeno erro. O cadáver em questão não era Olga. Os beberrões se confundiram e pegaram o corpo errado.
República Dominicana
  • Em julho de 2001, Leonardo Crisóstomo, um motorista de táxi, saiu para trabalhar e quando voltou, dois dias depois, descobriu que sua família havia velado e enterrado um homem cujo corpo fora reconhecido como sendo seu. Os parentes haviam feito o reconhecimento do homem morto.
República Tcheca
  • Os funcionários do correio da cidade tcheca de Brno estranharam um pacote postado em Praga no dia 16 de agosto de 2001 e que ninguém havia ido retirar. Como cheirava muito mal, o pacote foi aberto e descobriram dentro dele uma perna e um braço humanos.
Rússia
  • Em abril de 2001, o jornal "Moskovski Komsomolets", de Moscou, noticiou que a russa Liubov Sozinova levou sete anos para anunciar a morte de sua mãe. Nesse tempo todo, o corpo ficou escondido embaixo de um colchão no apartamento da mulher, que sofre de depressão. O cadáver estava mumificado e enrolado em papel celofane.
Turquia
  • O casal Abdullah e Kubra Yalcinkaya estava casado há 64 anos. Seria uma bela história, não fosse uma briga que fez com que os dois ficassem sem se falar por 27 anos. Apesar de várias tentativas dos parentes de reconciliar marido e mulher, eles não voltaram a se falar. No dia 23 de junho de 2009, Kubra morreu. Abalado com a notícia, Abdullah não resistiu ao desgosto e faleceu na mesma data, duas horas depois da esposa. "Não pudemos superar a teimosia deles", comentou o único filho do casal à agência de notícias "EFE".
Fonte: Guia dos Curiosos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas