Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Galvão Bueno bate boca com comentarista ao vivo no Sportv


O apresentador Galvão Bueno bateu boca com o comentarista Renato Maurício Prado em meio ao programa Conexão Sportv, que foi ao ar no período noturno de quarta-feira no canal por assinatura após a programação olímpica.
Divulgação
Bate boca ao vivo durou mais de dois minutos
O entrevero entre os dois teve como pivô o superintendente-executivo do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) Marcus Vinícius Freire, que foi medalhista olímpico nos Jogos de Los Angeles, em 1984, quando ganhou a prata.
“Fala agora o que você disse sobre a medalha de prata dele em Los Angeles antes do programa, que só ganhou por causa do boicote”, disse Renato Maurício logo na abertura do programa para causar a fúria de Galvão Bueno, que ficou visivelmente desconcertado.
“Isso não se faz. É preciso ter responsabilidade. Estamos falando para milhões de pessoas. Você foi deselegante. Uma coisa é a brincadeira fora do ar, outra coisa é a brincadeira ao vivo para milhões de pessoas”, retrucou Galvão.
Após a discussão, que durou cerca de dois minutos, Galvão explicou que jamais disse que o Brasil não ganharia medalha em 1984. O narrador afirmou que o time teria mais dificuldade com a presença de equipes do leste europeu como Polônia, Bulgária e União Soviética.
No final, Galvão interrompeu a discussão após nova troca de farpas e chegou a cumprimentar Renato Maurício Prado, que aceitou o pedido de forma burocrática.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas