Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

domingo, 8 de julho de 2012

Federer conquista hepta em Wimbledon e volta a ser nº1 do mundo


Leon Neal
O tenista suíço Roger Federer sagrou-se aos 30 anos campeão do Grand Slam de Wimbledon pela sétima vez da sua carreira, igualando o recorde do americano Pete Sampras, ao derrotar neste domingo o escocês Andy Murray de virada em quatro sets, com parciais de 4-6, 7-5, 6-3 e 6-4.
Com o triunfo, Federer, terceiro cabeça de chave do torneio londrino, volta à liderar o ranking da ATP, desbancando o sérvio Novak Djokovic, que derrotou nas semifinais.
Assim, ele alcançou outra marca histórica de Sampras, ao passar 286 semanas na posição de número um do mundo. "Estou igualando meu ídolo, este é um momento mágico para mim", comemorou Federer.
Este foi o 17º título do suíço em Grand Slams, sendo que ele não vencia um torneio desta categoria desde a edição de 2010 do Aberto da Austrália. Foi naquele ano que ele perdeu a liderança para o espanhol Rafael Nadal, que foi ultrapassado por Djokovic há um ano, após o sérvio conquistar o título em Wimbledon.
"Joguei perto do meu melhor nível na semifinal e na final. Não poderia ser mais feliz. Eu sentia falta de disputar a final aqui", comentou o suíço.
Já Murray frustrou a expectativa da torcida britânica, que não vê um tenista da casa ser campeão em Wimbledon há 76 anos, com o título de Fred Perry em 1936.
O escocês disputava sua quarta final de Grand Slam, sendo que já havia perdido as duas primeiras para Federer (em 2008 no US Open e em 2010 no Aberto da Austrália) e a outra para Djokovic (em 2011 no Aberto da Austrália).
"Estou ficando mais perto", declarou Murray, de 25 anos, que estava muito emocionado depois da partida. "Antes do jogo, me perguntaram se eu achava que essa seria minha melhor chance pelo fato de Federer já ter 30 anos, mas o problema é que ele não está nada mal para um cara de 30", brincou.
Mesmo com a derrota, o escocês disputou uma final de alto nível e mostrou-se mais agressivo no início da partida. Mais consistente do fundo da quadra, ele levou o primeiro set em 6-4.
No segundo, Murray também começou melhor, teve quatro chances de quebrar o serviço do adversário, mas Federer mostrou a frieza necessária para vencer os pontos importantes e fechou em 7 a 5, logo antes da chuva interromper a partida, que tinha começado com sol.
A final foi retomada 35 minutos depois, tempo necessário para instalar o teto da quadra central.
O momento crucial da partida aconteceu no meio terceiro set, quando Federer conseguiu a quebra após vinte minutos de uma luta acirrada pelo sexto game.
A experiência do suíço, que disputava sua 24ª final de Grand Slam, fez a diferença. O suíço foi muito eficiente no voleio, vencendo 53 dos 68 pontos que disputou quando subiu para a rede.
Após fechar a terceira parcial em 6 a 3 ele salvou um 'break point' no início da quarta e quebrou o saque do britânico no quinto game, com uma linda passada de esquerda.
Federer acabou fechando em 6 a 4, antes de se ajoelhar na grama para comemorar o título, após 3h24 minutos de jogo.
Muitas personalidades prestigiaram a final, entre elas o primeiro-ministro David Cameron, a duquesa de Cambridge, Catherine Middleton, esposa do príncipe William, e o astro do futebol inglês David Beckham, junto com sua esposa, a ex-Spice Girl Victoria.
Fonte: veja.abril.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas