Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Sem 'jogo de compadres', Espanha elimina Croácia; Itália vence a 1ª e também avança


Cassano fez o primeiro gol da vitória italiana por 2 a 0 sobre a Irlanda

Cassano fez o primeiro gol da vitória italiana por 2 a 0 sobre a Irlanda

Longe de ser a Espanha campeã do mundo, a Fúria selou sua classificação para as quartas de final da Euro-12. Nesta segunda-feira, a seleção espanhola derrotou a Croácia por 1 a 0 em Gdansk e avançou em primeiro lugar no grupo C. A Itália, que venceu a primeira ao bater a Irlanda por 2 a 0 em Poznan, terminou em segundo lugar na chave.

Autor do gol da vitória espanhola, Jesús Navas reiterou que a Fúria entrou em campo se se deixar levar pelos boatos. “Vamos sempre para a vitória. É nisso que cremos e o que queremos”, disse o atacante, que começou a partida no banco de reservas e entrou no lugar de Fernando Torres durante o segundo tempo.A Itália temia um “empate conveniente” entre Espanha e Croácia por dois ou mais gols. Se isto se confirmasse, de nada adiantaria uma vitória italiana sobre os eliminados irlandeses, mesmo com uma goleada. Itália, Espanha e Croácia terminariam com cinco pontos, mas os critérios de desempate neste caso beneficiariam os dois últimos, que teriam mais gols marcados nos jogos realizados entre as três seleções.

Com os resultados, a Espanha terminou com sete pontos, seguida da Itália, com cinco. A Croácia, eliminada, terminou com quatro; já a Irlanda perdeu seus três jogos e voltou para casa sem pontos.
Enquanto a Espanha tocava a bola, a Itália partia para cima dos adversários em busca do gol que lhe daria a classificação. A Irlanda, mesmo eliminada, dificultava a vida dos italianos com duas linhas de quatro jogadores.
Quando conseguiu escapar dos irlandeses, Di Natale quase marcou mesmo sem ângulo. Depois, Cassano teve que arriscar de fora da área para assustar o experiente goleiro Given, que quase engoliu um frango.
Na cobrança do escanteio, saiu o gol aos 34min. Pirlo cobrou fechado na primeira trave e Cassano marcou de cabeça. A bola ainda bateu no travessão e Duff deu um bico para afastar, mas a bola já havia entrado.
Já em Gdansk, a partida começou com o já tradicional toque de bola da Espanha e a Croácia adotou uma postura defensiva. As duas equipes criaram pouquíssimas chances para marcar e o panorama só mudou no segundo tempo, com a necessidade da Croácia marcar para seguir na Euro-12.
Neste momento, o resultado em 0 a 0 na outra partida era o mais importante e sabedores disso, os italianos apenas administravam o resultado.  Para cair na primeira fase, a Itália teria que ver pelo menos dois gols – um de cada – de Espanha e Croácia.
Nada disso aconteceu. A Espanha, mesmo sofrendo uma certa pressão e dependendo das boas defesas de Casillas, marcou aos 43min com Navas e a Itália ampliou sua vantagem com um golaço de Balotelli aos 45min e garantiu sua classificação. Na pequena área, o polêmico atacante acertou um voleio e deu número final ao placar.
A Croácia se viu obrigada a atacar e partiu para o ataque atrás de um gol que eliminaria a Itália. Mesmo com o goleiro Pletikosa indo para a área, não conseguiu seu objetivo.
Espanha e Itália aguardam a definição do grupo D, nesta terça-feira, para conhecer seus adversários nas quartas de final. Os espanhóis enfrentam o segundo colocado da chave, enquanto os italianos terão pela frente quem se classificar em primeiro.
Fonte: esporte.uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas