Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

sábado, 26 de maio de 2012

Gostou, Mourinho? Brasil passa pela Dinamarca em dia de Hulk e Oscar


Fonte: globoesporte.globo.com
José Mourinho viu de perto neste sábado a força de Hulk e o talento de Oscar: com a presença do técnico do Real Madrid no estádio Imtech Arena, o atacante do Porto brilhou com a camisa da Seleção Brasileira, marcou duas vezes e criou a jogada de outro (contra) na vitória do time de Mano Menezes por 3 a 1 sobre a Dinamarca, em Hamburgo. O meia do Internacional também se destacou com a camisa 10 e participou dos principais lances do time canarinho.
Mesmo com vários desfalques, a Seleção teve boa atuação, uma das melhores sob o comando de Mano, principalmente no primeiro tempo, quando marcou os três gols. Na etapa final, o time diminuiu o ritmo e viu Bendtner descontar no placar, em posição irregular e erro do árbitro que não assinalou impedimento. O técnico não pôde contar com Neymar e o goleiro Rafael, que defenderam o Santos na Libertadores quinta-feira e só se apresentarão para os jogos nos Estados Unidos. Daniel Alves e Paulo Henrique Ganso foram cortados por lesões, enquanto Alexandre Pato acabou poupado na Alemanha. Zagueiro do Chelsea, David Luiz não jogará nem na Terra do Tio Sam, mas permanecerá com a delegação.
No domingo, o grupo viaja para os Estados Unidos, onde a equipe enfrentará os americanos (quarta, em Washington), o México (dia 3 de junho, em Dallas) e Argentina (9 de junho, em Nova Jersey) nos últimos testes para as Olimpíadas. Em 8 de junho, Mano vai anunciar os 35 nomes que continuarão na pré-lista dos Jogos (a relação conta com 52 hoje). A convocação final para Londres sairá em 6 de julho.
Cotado para defender o campeão europeu Chelsea na próxima temporada, Hulk brilhou em Hamburgo. O atacante do Porto abriu o placar aos sete do primeiro tempo com um chute de fora da área, criou ao lado de Oscar o lance que originou o gol contra de Zimiling cinco minutos depois e marcou o terceiro do Brasil aos 39 da etapa inicial, em jogada individual após o meia do Internacional roubar a bola perto do meio do campo. Aos 25 do segundo tempo, Zimiling driblou Rômulo com estilo na área e cruzou para Bendtner, em posição de impedimento (não dado), marcar para a Dinamarca.
Hulk, Brasil x Dinamarca (Foto: Agência EFE)Oscar, Damião e Hulk comemoram o primeiro gol: trio ofensivo deu certo na Alemanha (Foto: Agência EFE)
O Incrível Hulk domina o primeiro tempo: 3 a 0
Sem contar com nomes como Neymar, Daniel Alves e Pato, Mano escalou a Seleção com Jefferson, Danilo, Thiago Silva (capitão), Juan (revelado pelo Internacional e atualmente no Inter de Milão), Marcelo, Sandro, Rômulo, Oscar (herdeiro da camisa 10 sem Ganso), Hulk, Leandro Damião e Lucas.
O pouco tempo de treinamento parecia prejudicar o início da equipe canarinho na partida. Alguns erros de passe marcaram os primeiros minutos. Mas aos sete, Hulk recebeu na entrada da área e soltou a bomba de canhota. O goleiro Sorensen caiu atrasado e não viu a cor da bola: 1 a 0 para o time canarinho.
A partir daí, tudo o que o técnico Mano Menezes gostaria de ver entrou em campo. A Seleção começou a marcar a Dinamarca no campo de defesa. Acuados com o gol marcado logo no início, os europeus erravam muitos passes.
Mas foi em uma roubada de bola de Hulk, aos 12, que o Brasil ampliou o marcador. O atacante recuperou a posse de bola e tocou para Oscar. O meia do Inter passou por um adversário e cruzou para Hulk. Na ânsia de cortar a finalização, Zimling chutou contra a própria meta e fez o segundo da Seleção. A equipe seguiu melhor na partida, principalmente no setor ofensivo. Lucas e Oscar trocavam de posição a todo instante e levavam perigo ao gol rival.
Se o ataque tinha excelente participação, a defesa ainda precisava de alguns ajustes. E o capitão Thiago Silva era o responsável por orientar os volantes e os companheiros de zaga. Às vezes com Danilo, outras com Sandro e Rômulo, que ainda buscavam o melhor entrosamento.
E foram justamente por esses erros que a Dinamarca chegou ao gol do Brasil algumas vezes. Aos 36, Khron Dehli perdeu dentro da área a chance de diminuir a diferença. Três minutos depois, mais um prêmio para a marcação pressão da Seleção. Oscar tomou a bola na intermediária e lançou para Hulk. O atacante passou por um adversário, invadiu a área e tocou para marcar mais um para o time canarinho: 3 a 0.
Seleção diminui o ritmo e vê árbitro errar em gol da Dinamarca
Com a vitória na mão, a Seleção diminuiu o ritmo no segundo tempo. Logo no primeiro minuto, viu a Dinamarca chegar bem perto de diminuir o placar: Wass cruzou de dentro da área, a bola passou pelo Jefferson e Agger ficou na cara do gol, mas pegou mal e chutou para fora. No início da jogada, Wass estava impedido, mas o árbitro alemão Felix Brych não marcou a irregularidade.
Os dinamarqueses só conseguiram descontar aos 25. E de novo com ajuda do trio de arbitragem. Zimling, que havia feito contra, entrou driblando pela direita, passou pelo volante Rômulo com estilo e cruzou rasteiro para Bendtner, que estava em impedimento claro, marcar dentro da pequena área.
O gol fez Mano Menezes mexer no time. O lateral-direito Danilo deu lugar a Rafael, que foi chamado para a vaga deixada por Daniel Alves. Logo em seguida, Leandro Damião, que esteve apagado, saiu para a estreia de Wellington Nem. O meia Giuliano também ganhou chance e substituiu o são-paulino Lucas. Depois, Sandro saiu para a entrada de Casemiro, e o zagueiro Bruno Uvini deu descanso ao artilheiro Hulk.
A única chance com a garotada em campo foi aos 44, quando Nem entrou em velocidade pela direita e bateu cruzado, mas o goleiro Andersen defendeu. A decisão das vagas nas Olimpíadas ficou para os Estados Unidos, onde o Brasil terá até Lionel Messi pela frente no último teste antes da convocação dos Jogos.
BRASIL 3 X 1 DINAMARCA
Jefferson, Danilo (Rafael), Thiago Silva, Juan, Marcelo (Alex Sandro), Sandro (Casemiro),  Rômulo, Oscar, Hulk (Bruno Uvini), Leandro Damião (Wellington Nem) e Lucas (Giuliano)Sorensen (Stephan Andersen), Wass, Kjaer, Agger, Simon Poulsen, Cristian Poulsen (Jacob Poulsen), Zimling, Eriksen (Rommedahl), Schone (Kahlenberg), Bendtner e Dehli (Nicklas Pedersen)
Técnico: Mano MenezesTécnico: Morten Olsen
Gols: Hulk, aos 7 do primeiro tempo; Zimiling (contra), aos 12 do primeiro tempo; Hulk, aos 39 do primeiro tempo; Bendtner, aos 25 do segundo tempo
Árbitro: Felix Brych (Alemanha) Auxiliares: Marcus Hacker (ALE) e Stefan Lupp (ALE) Data: 26/5/2012 Estádio: Imtech Arena, em Hamburgo (Alemanha)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas