Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

sábado, 31 de março de 2012

Falha põe em causa dados de milhões de cartões de crédito


A Visa e a Mastercard estão, desde o início da semana, a alertar os bancos norte-americanos para uma falha nos seus processadores de cartões de créditos. Os dados de mais de 10 milhões de clientes podem ter sido comprometidos. As duas empresas admitem que parte dessa informação está nas mãos de terceiros e que pode, assim, ser usada para criar cartões falsos. 
<p>A Visa e a Mastercard asseguram que os dados dos seus clientes não foram comprometidos</p>
Os alertas chegaram aos responsáveis bancários de forma discreta, mas acabaram por ser revelados nesta sexta-feira por Brian Krebs, um antigo jornalista do Washington Post, no seublogue dedicado à segurança. Horas depois, a história chegava ao Wall Street Journal, que escrevia por sua vez que a falha de segurança tinha sido responsabilidade da Global Payments. O que conduziu a uma queda superior a 9% no valor das acções daquela empresa de processamento de cartões.

A Global Payments, que diz liderar o seu segmento de mercado, informou, através de um comunicado, que “identificou e reportou o acesso não autorizado a parte do seu sistema de processamento” no início de Março. Foi então que avisou a Visa e a Mastercard, para permitir “minimizar o potencial impacto” nos clientes. A empresa não especifica o tipo de dados comprometidos, mas admite que a acção de hackers esteja na base desta falha.

Segundo Brian Krebs, o processador da Global Payments manteve-se vulnerável de 21 de Janeiro a 25 de Fevereiro. O número que está a ser avançado de clientes potencialmente envolvidos – mais de 10 milhões – é referido no seu blogue. No entanto, nenhuma das três empresas afectadas pela falha de segurança se compromete com qualquer número.

Além da Visa e da Mastercard, também foi afectada parte dos clientes da Discover, a terceira maior empresa do sector. São as três norte-americanas. A Discover está, segundo a BBC, a monitorizar as suas contas e, se necessário, irá proceder à emissão de novos cartões. A Visa e a Mastercard, por outro lado, asseguram que os dados dos seus clientes não foram comprometidos – e referem as sucessivas camadas de segurança que aplicam aos seus cartões. Mas também estão a investigar.

No alerta endereçado aos bancos, a Visa – que remete todas as responsabilidades pela falha a “terceiros”, ou seja, a Global Payments – refere que a investigação “ainda está na fase inicial”. No entanto, a acreditar na Global Payments, esta já decorre há quase um mês. A empresa diz que, no início de Março, deu conta do problema às autoridades federais e deu início à sua própria investigação, “envolvendo imediatamente peritos externos em análise forense de tecnologias da informação”.

Nesta fase, os especialistas estão a cruzar os dados de utilização dos cartões de crédito das três empresas, no período afectado, para tentar encontrar padrões ou dados coincidentes – o que significa que estão convencidos de que a falha de segurança se deve à acção dehackers e não ocorreu devido a problemas no sistema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas