Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

sábado, 24 de março de 2012

Composição inédita de Mozart interpretada em sua casa de Salzburgo


 
Uma composição para piano inédita de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) foi interpretada pela primeira vez nesta sexta-feira em Salzburgo (Áustria), na casa em que viveu o músico austríaco.
Mozart compôs este "Allegro Molto" para piano - similar a uma sonata, con 84 compassos e que dura alguns minutos - em 1767-8, quando tinha 11 anos. A partitura foi achada dentro de um caderno datado de 1780, explicou à imprensa a musicóloga Hildegard Herrmann-Schneider.
"O modo que está escrito o nome ''Del Signore Giovane Wolfgango Mozart'' é sumamente preciso", declarou Ulrich Leisinger, diretor do departamento de pesquisas da Fundação Mozarteum, o que convenceu os especialistas de que se tratava realmente de uma obra de Mozart.
A obra foi interpretada no piano de Mozart, que se encontra no salão de baile da casa do compositor, por Florian Birsak.
Nos últimos anos, foram encontradas duas composições inéditas de Mozart: uma em 2006, nos arquivos do arcebispado de de Salzburgo, e outra em 2009, nos arquivos da Fundação Mozarteum.
Fonte: Jornal do Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas