Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Quantidade de substâncias radioativas emitidas por Fukushima aumentou este mês


Foto mostra reator número 3 (E) danificado e vapor saindo do reator número 4 (D) (AFP)
Foto mostra reator número 3 (E) danificado e vapor saindo do reator número 4 (D)

Brasília - A quantidade de substâncias radioativas emitidas pela central nuclear japonesa de Fukushima aumentou ligeiramente este mês por causa dos trabalhos de remoção dos escombros e das atividades para colocar um ponto final na crise, informou hoje (24) a operadora TepCo.

Em janeiro, o volume de material radioativo emitido pela central foi de cerca de 70 milhões de becqueréis (unidade de medida de radiação) por hora, contra os 60 milhões horários registrados em dezembro.

Logo depois do incidente na central, causado pelo terremoto seguido de tsunami de 11 de março, o nível da radioatividade medido no local atingia os 800 bilhões de becqueréis por hora.

Citando um relatório da Tokyo Electric Power (TepCo), a NHK, emissora estatal de televisão, indica que o aumento da radiação em janeiro pode ser atribuído ao maior movimento na central, com a remoção de materiais e equipamentos nos quais se acumularam substâncias contaminadas perto de alguns reatores.

Técnicos têm trabalhado este mês em torno do reator 2, zona que está altamente contaminada. Na semana passada, instalaram um endoscópio industrial que permitiu examinar o interior dessa unidade.

Além disso, o pessoal da Tepco colocou em curso operações de desmantelamento e transferência de material contaminado próximo ao reator 3.

Ano passado, um terremoto seguido por tsunami no Japão afetou os reatores da Usina de Fukushima, no Nordeste do país, causando explosões e vazamentos radioativos. Desde então, a área em volta da usina passou a ser monitorada.

Fonte: Jornal O Imparcial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas