Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Sintetizador da Yamaha poderá emular voz de cantores falecidos e promover novas gravações

Membros responsáveis pelo desenvolvimento de novos sintetizadores da Yamaha, batizada como Vocaloid, apresentaram a prova de que, em alguns anos, será possível criar gravações de áudio com artistas já falecidos. Segundo os cientistas, isso seria possível com o avanço da performance de seu simulador de vozes.

Tim Maia (Foto: Divulgação) 
Já pensou se você pudessemos ouvir duetos
inusitados e até canções não-gravadas com a voz
de Tim Maia? O futuro parece ser este (Foto:
Divulgação)
 
Essa tecnologia, que ainda encontra-se em fase de aperfeiçoamento, iria além do que já é possível fazer hoje em termos de síntese de vozes, dispensando a presença do cantor ou pessoa com bom timbre vocal na realização de gravações-base; posteriormente manipuladas.
A novidade consiste em implementar um computador capaz de ouvir registros sonoros, e depois isolar e mapear sílabas e entonações do artista. A partir do modelo gravado, entraria em ação a porção humana, responsável pela edição e busca de inflexões vocais e sutilezas que usualmente fazem parte do estilo de quem se imortalizou musicalmente.

Em testes, foram feitas faixas de demonstração com o cantor japonês Hitoshi Ueki, falecido em 2007. Apesar de a qualidade das músicas terem alcançado um nível de qualidade interessante, tendo convencido até mesmo fãs de Ueki, membros da divisão da Yamaha entendem que muitas vezes ainda é perceptível um certo tipo de "ranço" digital (computadorizado) nas músicas, o que poderia desestimular seu uso e gerar críticas a esta tecnologia, se ela fosse lançada mundialmente agora.

Ainda assim, é difícil imaginar que um computador seja capaz de simular a voz do Tim Maia com toda a fidelidade e as brincadeiras de palco do cantor. Mas vendo o vídeo abaixo, dá pra perceber que em breve teremos surpresas no mercado fonográfico.  

Confira como ficaram os vocais de Hitoshi Ueki, Hatsune Miku, e vários outros artistas japoneses sintetizados pela Yamaha. (Detalhe: a primeira voz é a do software; a segunda, com a foto do artista, é a voz original).


Fonte: TechTudo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas