Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Com precisão e talento, Santos elimina Kashiwa Reysol e vai à decisão

Kazuhiro Nogi/AFP Photo
O Santos não conseguiu envolver o aguerrido Kashiwa Reysol com dribles ou troca de passes, mas a precisão de Neymar, Borges e Danilo garantiu a vitória por 3 a 1 sobre os japoneses, nesta quarta-feira, em Toyota, e a vaga na decisão do Mundial de Clubes.

Apesar de dominar a posse de bola por mais tempo e marcar Neymar sempre de perto, o time asiático foi para o intervalo perdendo por 2 a 0. O próprio Neymar abriu o marcador com um chute colocado de fora da área que entrou no ângulo direito do goleiro Sugeno, aos 18. Cinco minutos depois, foi a vez de Borges marcar um golaço, em outro chute que entrou na gaveta. No segundo tempo, Sakai diminuiu de cabeça após um manjado, mas eficiente cruzamento de Jorge Wagner, mas Danilo, em cobrança de falta perfeita, definiu o resultado aos 17.

O Santos assistirá de camarote ao duelo desta quinta-feira, entre o espanhol Barcelona e o catariano Al Sadd, às 8h30 (de Brasília). Quem vencer disputará a final com os brasileiros, no domingo, no Estádio Internacional de Yokohama, também às 8h30. O derrotado jogará contra o Reysol, no mesmo dia, mas às 5h30, para resolver quem fica com o terceiro lugar.

O jogo
Guiado pelos brasileiros Jorge Wagner e Leandro Domingues e apostando quase sempre nas subidas do lateral-direito Sakai (que recusou proposta do Santos), o Kashiwa Reysol não se acovardou diante de um dos favoritos ao título do Mundial de Clubes. A equipe comandada por Nelsinho Baptista dominou a posse de bola, mas pecou ao não conseguir conter o talento do Peixe.

Neymar, sempre marcado de perto por dois ou mais adversários, foi quem teve a primeira chance. O lançamento de Arouca não foi tão preciso, mas Kondo se atrapalhou com a aproximação do camisa 11 alvinegro e deu um presente a ele, que acertou a trave direita de Sugeno, aos quatro minutos. Essa foi a tônica do primeiro tempo: o Kashiwa trocava passes improdutivos - muito porque Henrique e Arouca grudaram em Jorge Wagner e Leandro Domingues - e o Santos, em poucas chegadas, levava perigo.

Aos 18 minutos, Neymar justificou a fama que já tem no Japão. O craque do Santos foi preciso tanto no corte que deixou Otani no chão pela meia esquerda, quanto no chute de fora da área, com a canhota, que entrou no ângulo direito do goleiro. Gol que abalou o Reysol e abriu caminho para Borges, cinco minutos depois, receber passe de Durval, proteger de três marcadores de costas para o gol e girar para disparar um tiro forte da entrada da área, novamente no ângulo de Sugeno, dessa vez no esquerdo.

Após o baque, o time japonês voltou a controlar o ritmo do jogo. O Santos soube recuar para evitar que a pressão se tornasse insuportável e só tomou um susto até o fim da etapa inicial, em um chute forte de Leandro Domingues que Rafael defendeu com dificuldade. A etapa final começou diferente. Com Kitajima na vaga de Kudo, a equipe de Nelsinho reforçou o meio-campo, mas recuou. Aos cinco minutos, Neymar deu ótima enfiada para Danilo, que invadiu a área sem marcação e perdeu o gol ao chutar em cima do arqueiro rival.

O terceiro gol brasileiro parecia iminente, mas a bola parada de Jorge Wagner, tão comentada pelos santistas antes da partida, fez diferença. Foi após um escanteio cobrado pelo ex-são-paulino que Sakai subiu mais que Henrique para testar firme, diminuir a desvantagem de sua equipe e provocar reação de Muricy Ramalho, que logo trocou o apagado Elano por Alan Kardec.

A apreensão da torcida do Peixe durou pouco. Aos 17 minutos, Danilo cobrou falta que ele mesmo sofreu com muita perfeição e balançou as redes no canto esquerdo baixo de Sugeno, que nem se mexeu. A dancinha com Neymar na comemoração evidenciava o alívio que o tento deu ao time.

Logo depois do gol, Nelsinho Baptista colocou o rápido Sawa na vaga de Tanaka, que acertou a trave de Rafael em sua primeira finalização, aos 29. Os japoneses não desistiam e a última cartada foi a entrada de Hyodo no lugar de Hashimoto, aos 34. Simultaneamente, Muricy preenchia o meio-campo tirando Borges e colocando Ibson.

O Kashiwa ainda teve uma chance incrível, mas a precisão que sobrou ao Peixe faltou a Sawa, que chutou por cima mesmo com a meta escancarada à sua frente, aos 36. Três minutos depois, Ibson chutou de fora da área, mas o travessão impediu o golaço que transformaria a vitória alvinegra em goleada.

Ficha técnica
Santos 3 x 1 Kashiwa Reysol

Local:
 Toyota Stadium, em Toyota (Japão)
Data: 14 de dexembro de 2011, quarta-feira
Horário: 8h30 (de Brasília)
Árbitro: Nicola Rizzoli (Itália)
Assistentes: Renato Faverani e Andrea Stefani (ambos da Itália)
Cartões Amarelos: Leandro Domingues e Kurisawa (Kashiwa Reysol); Henrique (Santos)

Gols:
SANTOS: Neymar, aos 18, e Borges, aos 23 minutos do primeiro tempo; Danilo, aos 17 do segundo tempo.
KASHIWA REYSOL: Sakai, aos oito minutos do segundo tempo.

KASHIWA REYSOL: Sugeno; Kondo, Masushima, Hashimoto (Hyodo) e Sakai; Otani, Leandro Domingues, Jorge Wagner e Kurisawa; Tanaka (Sawa) e Kudo (Kitajima)
Técnico: Nelsinho Baptista

SANTOS: Rafael; Danilo (Bruno Aguiar), Edu Dracena, Bruno Rodrigo e Durval; Henrique, Arouca, Elano (Alan Kardec) e Ganso; Neymar e Borges (Ibson)
Técnico: Muricy Ramalho



Fonte: Superesportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas