Quem sou eu

Minha foto

Me chamo Rogério Rocha. Sou maranhense da cidade de São Luís, mas na verdade me sinto um cidadão do mundo. Sou pós-graduado em Direito Constitucional (Universidade Anhanguera-Uniderp-LFG), pós-graduado em Ética (IESMA), Graduado em Filosofia e Direito (UFMA), mestrando em Criminologia na Universidade Fernando Pessoa (Porto/Portugal). Atualmente sou Servidor do Poder Judiciário do meu estado. Exerci a advocacia durante 6 anos de minha vida,atuando nas áreas de Direito Civil (Família), Direito do Trabalho e do Consumidor. Fui professor do CEFET- MA (atual IFMA) por 2 anos, período em que lecionei tanto para o ensino médio quanto para os alunos de áreas técnicas as disciplinas de Sociologia, Filosofia e Metodologia do Trabalho Científico. Escrevo poesias desde os 12 anos de idade. Homem livre e de bons costumes, amante da música, da arte, da história e de viagens. Obs.: Postgraduate in Constitutional Law (University Anhanguera-Uniderp-LFG), Postgraduate in Ethics (IESM), graduated in Philosophy and Law (College); Public Server at Judiciary Power, Teacher, Poet.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

A arte do 'parkour'


Parkour, também chamada de 'arte do deslocamento' é uma atividade física, estética e dinâmica que tem por um de seus princípios a arte de mover-se de um lugar a outro o mais rápido que se puder e do modo mais eficiente possível, usando as habilidades corporais. Criado para ajudar a superar obstáculos, sobretudo no ambiente das cidades, o parkour é praticado por homens e mulheres conhecidos como traceur ou traceuses.
esporte foi criado na França, por David Belle, que é o grande ícone do Parkour no mundo.


Esse esporte, com jeito de arte marcial, é composto de uma série de movimentos, principalmente saltos e escaladas (alguns de grande complexidade em sua execução). Tais movimentos devem ser realizados com extrema destreza, disciplina, força, raciocínio rápido, coordenação motora e concentração total, visto que, se derem errado, a possibilidade de ocorrência de um acidente grave com o praticante aumenta consideravelmente.
 Talvez por isso, creio que o ingrediente principal que deve ter alguém que se interesse pela prática dessa arte radical é justamente respeitar os limites do seu corpo. No mais, é ser livre para sair por aí. Ao Parkour!!!!











Fotos: Natália Russo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do nosso blog, comentando, sugerindo e deixando o seu recado.

Postagens populares

Total de visualizações de página

Páginas